Vitalina Fontana

Casada com Antönio Candiotto

Download

Clique no botão ao lado para fazer o download destas

e de outras  informações de Vitalina Fontana

Vitalina Fontana, nasceu no dia 22 de março de 1937, em Cocal do Sul. Adora conversar, é brincalhona, gosta muito de piadas, está sempre sorrindo, é bem animada e extrovertida - além de honesta, sincera e carinhosa. Católica, participa de grupos de famílias (novenas e terços) e da missa todos os domingos pela manhã.

 

A educação dada aos filhos foi sempre norteada no princípio de respeito, com muito amor. Foram todos educados na igreja católica, onde permanecem até hoje. E estudaram na Escola Estadual Professor Padre Schuler, em Cocal. Como Vitalina morava em um sítio, distante 5 km da escola, os filhos iam a pé para a escola. A estrada era deserta. Vitalina estudou até 4ª série primária (na época), mas a educação dos filhos era importante.

 

No sítio, onde morava, tinha uma plantação de uvas de onde produzia vinho e vinagre. Tinha um belo e grande pomar com uma variedade imensa de frutas e um quintal com muitas verduras e hortaliças. Criavam gado, porcos e galinhas, para o consumo da família.

Antigamente não tinha muita diversão, mas hoje, Vitalina, participa do grupo da 3ª Idade, lê bastante, adora ouvir música e assistir televisão, principalmente as novelas e filmes. Visita sempre a família e os amigos. A família se reúne em datas comemorativas (aniversários, festas de final de ano) para juntos, sentar-se à mesa e partilhar. O que não falta são os pratos prediletos de Vitalina, baseada na típica comida italiana: polenta com galinha, fortaia, massas, quiejos, pães, salame, puina, minestra, sopa, arroz, churrasco, saladas, legumes e muitas frutas. Vitalina, tem muitos amigos, é bem conhecida em toda a comunidade, por sua facilidade em se relacionar, dentre eles os vizinhos e as pessoas com quem convive nos locais onde realiza trabalho voluntário.

 

Atualmente, Vitalina, tem uma rotina diária, que a mantém sempre disposta e alegre. Ao acordar faz suas orações, toma seu café, cuida da casa e do jardim, faz sua própria comida, caminha diariamente, faz suas compras, realiza trabalho voluntário, enfim, faz tudo em casa, não depende de ninguém e mora sozinha há 25 anos. Participou do curso de Agentes de Pastoral da Saúde, em 2002 e do Projeto Universidade Alternativa, com 48 horas, no período de abril a novembro de 2006, pela UNESC.

 

Vitalina casou-se com Antônio Candiotto, nascido em 26 de junho de 1932, natural de Cocal (distrito de Urussanga, na época), no dia 23 de novembro de 1956, em Cocal e separou-se em 16 de março de 1990. Antônio faleceu em 26 de agosto de 2011. Durante o relacionamento conjugal foi feliz com seu esposo, respeitava-o, amavam-se. Trabalharam juntos na roça para criar e educar os filhos. A vida não foi fácil, pois mesmo quando estava grávida, tinha que fazer todos o trabalho da casa, cuidar dos filhos e ir trabalhar na roça, pois não tinha ajuda de outras pessoas para essas tarefas. Criou todos os 6 filhos na roça. Quando os filhos já estavam mais crescidos, começaram a ajudar em casa, na roça e cuidavam dos irmãos menores, enfim colaboravam em tudo.

 

O casal não tinha muito lazer. Ele gostava de jogar baralho (canastra) com os amigos. Ela costurava e bordava gratuitamente os enxovais (cama e mesa) para as sobrinhas. Quando bordava à noite, usava lamparina de querosene, pois naquele tempo não tinha energia elétrica em sua casa.

 

Vitalina sempre foi uma mulher ativa, participativa nas atividades da Igreja e da comunidade, prestando muitos serviços voluntários:

  • Na Igreja Católica organiza os grupos de Famílias (novenas e terços)

  • Zeladora da Nossa Senhora Mãe Peregrina no bairro onde reside.

  • Por 12 anos foi samaritana (voluntária) no Hospital São José, de Criciúma.

  • É voluntária da APAE de Cocal do Sul há 15 anos e continua até hoje.

  • É voluntária na confecção de fraldas geriátricas no Lions Clube de Cocal do Sul

  • Visita os doentes da comunidade, regularmente, levando, além de biscoitos e balas, palavras de conforto e carinho.

 

Por estes serviços e pela sua dedicação aos mais necessitados, Vitalina, foi reconhecida em duas oportunidades:

 

  • Recebeu o Prêmio Exemplo Voluntário em 05/12/2007, entregue pelo Instituto Voluntários em Ação/SC, Fundação Maurício Sirostki Sobrinho, Serviço Social do Comércio e a Secretaria de Estado da Educação/SC.

  • Recebeu do Lions Clube de Cocal do Sul, o título de Amigo do Lions, em reconhecimento ao seu apoio e dedicação junto as campanhas em prol de causas sociais e humanitárias, em 08/11/2013.

Álbum de Família

Netos e bisnetos.jpg

Netos e bisnetos.jpg