Santina Fontana

Casado com Osmar Araújo

Download

Clique no botão ao lado para fazer o download destas

e de outras  informações de Santina Fontana

Santina Fontana, a décima filha de Francisco Fontana e Anna Gracia Fachin, nasceu no dia 03 de março de 1943 em Vila Maria, Nova Veneza/SC. Ali viveu sua infância onde estudou até a quarta série do ensino primário, cuja escola era de madeira. Santina sempre foi uma menina tímida e gostava muito de estudar, ajudava seus colegas na sala de aula e adorava brincar com bonecas de pano. No Natal seu presente favorito era ganhar bonecas de pano feito por sua mãe, era costume de seus pais esconder os presentes de Natal. Santina e seus irmãos faziam uma grande festa para procurar os presentes escondidos num belo jardim e também no presépio.

 

Sempre teve em sua mesa comida farta, e o que mais gosta de comer é macarrão caseiro, uma das especialidades de sua Mãe Anna Gracia.  Pela manhã seu café era polenta, salame e queijo frito e à noite a famosa minestra. Devido as dificuldades de distancia entre uma escola e outra, parou de estudar dedicando-se ao trabalho, ajudando seus pais na lavoura. Plantavam milho, arroz, feijão, cana de açúcar e mandioca. A família também lidava gado leiteiro, porcos, galinhas e ovelhas e com um engenho de cana de açúcar e um engenho de farinha de mandioca. Era um trabalho muito árduo, pois, além disso, seu pai, Francisco Fontana, tinha uma serraria com beneficiamento de madeiras. Enfrentando as dificuldades da época e com muita dedicação, a família prosperava na região.

 

Certo dia Santina foi colher mandioca para tratar as ovelhas. Era um dia de sol muito quente. Bastante cansada ela jogou o balaio no chão e sem perceber um carneiro comeu a mandioca. Devido ao calor que fazia, a ovelha morreu. Quando seu pai chegou em casa, ficou muito bravo e brigou com Santina e até hoje ela não esquece esse episodio. Outro fato que os sobrinhos mais velhos contam da Santina é que ela tinha um cachorrinho pequeno e todo branco que se chamava QUINHO. Ela adorava brincar com as pessoas. Na época da Páscoa ela pegava amaranto para pintar os pelos do cachorrinho, isto significava que a Páscoa estava próxima. Era uma brincadeira muito divertida.  Santina quando pequena usava vestidos com calças compridas por baixo do vestido e sandálias de pano.

 

De família muito católica, fez a Primeira Eucaristia e a Crisma. Tinha muitos amigos em destaque Mafalda Spilere ,Denir Spilere e Alvisio Stanger brincavam sempre juntos e são amigos até hoje, com exceção de Alvisio, que já faleceu. Na juventude Santina foi uma jovem esbelta e usava lindíssimos vestidos, era uma moça muito cortejada, chamava atenção por onde passava. Com 23 anos conheceu um jovem, que chamou muito a sua atenção. Vila Maria era um bairro pequeno do interior e quando aparecia alguém estranho era motivo de muitos olhares. Esse jovem que apareceu era o Osmar Araujo, que se encantou pela linda jovem, começando a paquerá-la.

 

Osmar Araujo filho de Emílio Araujo e Lucidónia de Souza, nasceu em 06 de agosto de 1945. Estudou até o terceiro ano primário.  Na sua infância brincava de funda, esconde-esconde, pega-pega. Era de família simples e sempre trabalhou na cidade para ajudar seus pais. Trabalhou de servente de pedreiro, em uma Carbonífera e numa Rádio, cujo programa era Roda de Violeiros. Mas, o que recebia não era suficiente para o sustento da família. Na busca de um emprego melhor, foi trabalhar na Serralheria que se localizava na Linha Cubico, em Vila Maria, de propriedade do Senhor Silvino Zanete. Nas suas horas de lazer tocava violão e cantava. Tinha uma linda voz, que era admirada pelos  seus amigos e também pelos frequentadores das festas da região, onde o Osmar se apresentava.

 

O namoro de Santina com o Osmar tornou-se sério. Oito meses após o inicio do namoro casaram-se no dia 14 de maio de 1966, na igreja de São Bento Baixo. Foi uma linda festa que começou as oito horas da manhã com um delicioso café na casa dos pais da noiva. Logo depois do café, os noivos foram para a igreja de caminhão e os convidados em cima, na carroceria do caminhão. Terminada a cerimônia religiosa foram almoçar no Bairro Mineira Velha, em Criciúma, onde residiam os pais do noivo. O dia foi muito lindo, marcado por muita alegria. 

 

Osmar e Santina passaram a morar no Bairro de Mineira Velha, em Criciúma SC. Nesse período, Osmar foi convidado para cantar no Programa do Show da Viola, cujo apresentador era o Antônio Rosa. Formou uma dupla com seu cunhado Santos Custódio e deram o nome da dupla de “ROSADINO e ROMERINHO”. A dupla foi mantida por dois anos. Como Santina não se adaptou a morar em Criciúma, o casal transferiu-se para Vila Maria, me Nova Veneza, onde morava o pai de Santina. Santina herdou de seu pai, Francisco, um terreno. Começaram a trabalhar a terra e plantavam de tudo. Nas folgas Osmar pegava seu violão e tocava nas tardes de domingo a chamada “Domingueira de Vila Maria”.

 

Santina e Osmar tiveram 15 filhos. Com 53 anos de idade, Santina perdeu a filha Ana Eliza, que ficou doente e, em pouco tempo, faleceu. O sofrimento de Santina foi grande com a perda a filha, mas seus 14 filhos deram a ela muita força para continuar a viver. Hoje, o casal tem 31 netos e 2 bisnetos, vivendo numa casa humilde, mas cheia de amor porque foi o amor que venceu vários obstáculos que a vida apresentou.

 

Osmar, com 70 anos de idade, encontra-se adoentado, quase cego. Depende muito da esposa para viver, mas qualquer um que chegar na sua casa, lá está ele sentado na sua poltrona na área da casa. Recebe todos com muita alegria e continua sendo um bom contador de histórias.

Santina com72 anos, continua tímida, mas esbanja muita alegria, sempre sorrindo. Para ela não tem tristeza. Ainda cuida e orienta seus filhos, seus netos e bisnetos.  A sua casa é sempre cheia de gente que os visita.

 

Nossos PAIS sempre foram muito trabalhadores, guerreiros e lutaram muito para o sustento de seus filhos e a maior herança que podem nos deixar é o caráter. A vocês, Pais, toda a nossa gratidão e nosso eterno amor.