Ângelo Fontana

 

Casado com Elza Possamai

Download

Clique no botão ao lado para fazer o download destas

e de outras  informações de Ângelo Fontana

Filho de Afonso Fontana e Ana Dal Pont, nascido no dia 22 de julho de 1929, no Morro do Loro, hoje conhecida como Vista Alegre, Ângelo passou sua infância e juventude, junto com os demais irmãos, trabalhando junto com seu pai na serraria da família. De personalidade forte, não teve muito estudo, mas aprendeu a escrever seu nome e fazer alguns cálculos matemáticos, que o ajudou a ser um grande homem.

Em novembro de 1951 casou-se com Elza Possamai Fontana, filha de Antônio e Cecília Possamai na Igreja do Morro do Ermo. Do fruto desta união vieram 10 filhos, sendo que 4 nasceram em Santa Catarina:Antônio, Maria Salete, Oneide e Ivone, no Paraná nasceram: Inês, Neri, Ademar, Ademir e Terezinha.

 

Por volta de julho de 1959, Ângelo, foi morar no Paraná onde seu pai Afonso Fontana comprou algumas colônias de terras na localidade de Vila Criciúma, distrito Alvorada de Iguaçu, que pertencia a Foz do Iguaçu.  Ângelo Fontana foi um dos pioneiros e teve participação no crescimento da cidade. Em meados dos anos 1980 a cidade conseguiu sua emancipação política, passando a ser chamada de Santa Terezinha de Itaipu. Chegando na Vila construiu sua casa e ajudou muitas famílias a construírem as suas e a igreja da comunidade onde hoje é a Vila Vitorassi.

 

O primeiro trabalho para que chegava nestas terras no Paraná era o desmatamento para poder plantar e produzir alimento para a família. Ângelo preparou a sua colônia para a lavoura e criação de gado leiteiro. Nesta época, a agricultura era a fonte de renda da família, com a comercialização da produção de grãos, de carne e de leite. Sempre que podia, vinha passar os fins de ano em Sombrio, onde adquiriu uma casa de veraneio na Praia da Gaivota. Era um homem apreciador de uma boa comida, de preferência se fosse polenta com frango ao molho e queijo. Aos domingos reunia a família para um almoço, onde aproveitava estes momentos para contar aos netos suas historias e seus aprendizados.

 

No dia 7 de janeiro de 1998, Ângelo acordou disposto a fazer a diferença e deixar sua marca, chamou sua filha Ivanir e seus netos André e Elizangela, enquanto seu filho Neri, que morava ao lado, viajava de férias com sua família, para fazer uma faxina geral. Seu filho Ademar também apareceu para ajudar na limpeza. Enquanto as mulheres faziam a limpeza na casa, os homens arrumavam o galpão das máquinas. Esta faxina foi até tarde naquele dia. 

 

Neste mesmo dia ele pediu para Ivanir a fazer a janta com frango ao molho com polenta. Ângelo jantou com gosto. Até parece que estava pressentindo algo. Todos foram dormir tarde, porque o Ângelo queria aproveitar o máximo do tempo para contar as histórias que jamais havia contado, assistindo seu programa de televisão favorito. Na madrugada do dia seguinte, 08 de janeiro, por volta das 3 horas da madrugada, teve uma crise de asma, não suportou e teve um infarto fulminante.

Em 14 de novembro de 2014, sua esposa Elza faleceu de complicação de inflamação da vesícula.

Ângelo Fontana foi homenageado, em Santa Terezinha do Itaipu, com o nome de uma rua.