Maria Carmem Fontana

Casada com Geraldo Costa da Silva

Download

Clique no botão ao lado para fazer o

download destas e de outras 

informações de Maria Carmem Fontana

No dia 31 de março de 1949 nasceu, do amor entre Pacífico Fontana e Rosina Da Soler, sua filha Maria Carmem. Batizada na cidade de Urussanga, tendo como padrinhos convidados o casal Jácomo e Carmela Dassoler. Foi crismada na matriz São José, em Criciúma e a madrinha foi Tereza.

 

Estudou na Escola de São Simão, que hoje é chamada de Escola Padre Franscisco Bertero. Suas professoras foram Dona Luci e Dona Carmela Benedet Casagrande, que deu aula da 1ª a 4ª séries.

 

Com 12 anos de idade, Maria Carmem, mais conhecida como Marica, começou a trabalhar na roça com seus pais. Lá eles plantavam mandioca, feijão, arroz, milho e cebola. Além de trabalhar na roça, ajudava a família no engenho de farinha de mandioca. Criavam para o consumo da família, galinhas, porcos e gados, que produziam ovos, leite, queijo, salame, banha e carne.

 

Nas horas vagas, Maria Carmem bordava, fazia crochê, fez até aula de corte e costura, mas pouco aprendeu. Sua comida preferida é pirão de água com bastante pimenta e polenta com queijo e café.

Maria Carmem gostava de se vestir com vestidos bem preguiados, acinturados e curtos. Aos domingos, que era a folga para se divertir, ia com suas colegas: Lola, Terezinha, Irma Benta, Mariane e Carmem, nas festas em Linha Torrens, Linha Tigre, Rio Galo e Rio Comprudente, em Cocal do Sul. Como não tinham condução para levá-las, iam caminhando, conversando e fazendo bagunça. Para voltar, o namorado da Carmem, que se chamava Arcângelo, buscava todas de caminhão. Era uma festa. Muitas vezes iam ás missas em Criciúma. Saiam de casa descalças, quando chegavam no Bairro Mina Brasil, lavavam os pés numa poça d’água, secavam com um pano, que jogavam fora, colocavam os sapatos e iam rezar.

 

Um certo dia, Maria Carmem, estava indo para mais um dia de trabalho, passando na casa de sua irmã Marcolina, com seu pai, teve a surpresa de encontrar um jovem que lhe chamou a atenção. Hoje é seu esposo, Geraldo. Geraldo pagava pensão na casa de Marcolina. Num domingo à tarde, teve uma domingueira no salão de seu irmão, Hilário, onde Maria Carmem começou seu namoro com Geraldo. Namoraram 2 anos. Casaram-se no dia 06 de julho de 1968, na matriz São José. O padre que celebrou o casamento chamava-se Olindo Rosso.

 

Geraldo Costa da Silva, nasceu do amor entre Manuel Tomaz da Silva e Perpetua Costa da Silva no dia 18 de Outubro de 1942. Foi batizado e crismado na cidade de Imaruí, sua terra natal. Aos 12 anos de idade passou a morar em Criciúma. Aos 15 anos foi trabalhar em uma firma em Joinville, aos 21 anos regressou a Criciúma e começou a trabalhar na mina de carvão da CBCA. Trabalhou com os empreiteiros José Darós, Otávio Fontana, João Carlos Pianta e Antônio Denoni. Sua profissão de mineiro era furador, no subsolo. Trabalhou durante 15 anos até se aposentar em dezembro de 1979, mas continuou por mais 3 anos na profissão. Saiu da mina e trabalhou em outros serviços, como vigilante na residência do Paulo Freitas, Shopping Della Giustina e outros mais. Desta união matrimonial tiveram seis filhos: Edna, Elza, Edivaldo, Hemerson, Evania e Ezequiel.

Álbum de Família