Maria Fontana Frezza

Casada com Natalino Frezza

Download

Clique no botão ao lado para fazer o download da descendência de Maria Fontana Frezza

Foi aí que apareceu em sua vida o senhor Alécio Nola, viúvo, muito católico, educado, morava no Ermo. Maria pensou muito, mas como estava com os filhos casados pensou que ainda era tempo de passar alguns dias felizes. Casaram em 1973 e foram morar em Ermo, junto a casa do filho Odair e Madalena Nola. Deu certo porque a religião estava sempre em primeiro lugar. Viveu com Alécio por 11 anos. Nesta época começou a adoecer e em pouco tempo, no dia 13 de maio, de 1984, num domingo, Dia das Mães, às 9 horas, veio a falecer, deixando os filhos, netos, que os amava muito, inclusive seu pai Afonso.

 

 

Maria Fontana Frezza, filha de Afonso Fontana e de Ana Dal Pont Fontana, nasceu no dia 30 de setembro de 1923, em Criciúma. Ainda pequena veio morar com seus pais em Garapuvu, interior de Sombrio. Seu meio de transporte foi o carro de boi. Viveu a infância em precárias condições e com muita dificuldade, pois era a mais velha dos irmãos. Cresceu ajudando a mãe nos afazeres da casa e cuidando dos irmãos, época difícil do começo de vida de seus pais. Na infância e adolescência o divertimento era ir aos domingos à Igreja, em Vista Alegre, rezar o terço (rosário) e conversar com as amigas

 

Aos domingos, Maria, ia mais cedo para a igreja com um cesto de flores para colocar no altar e varrer e deixar a Igreja bem bonita. Foi zeladora da Igreja por muitos anos, lavava as toalhas do altar com muito carinho. Era seu lugar preferido aos domingos. Gostava de ajudar os vizinhos, principalmente, os doentes. Passava dias e noites dando um chazinho e assim que uma vizinha, irmã ou cunhada ganhava neném, lá estava ela chegando antes da parteira; lavava as roupas e fazia a primeira sopa para a mamãe. Ajudar os outros era feito com muito amor. Sempre dedicada com seus filhos e irmãos.

Da esquerda para a direita, atrás: Odila e Anselmo, Mª Vanilda e Osni; Na frente: Osli e Mª Aparecida, Lédio (noivo) e Odilé (noiva), Maria e Natalino (pais)