José Pacífico Fontana

Aurora Maria Fontana

Download

Clique no botão ao lado para fazer o

download destas e de outras 

informações de José Pacífico Fontana

José Pacífico Fontana, filho de Pacífico Fontana e Rosina Dasoler Fontana,  nasceu em 27 de abril de 1931,   no município de Cocal do Sul. 

 

Quando criança ajudava os pais nos trabalhos de agricultura e também no engenho de farinha de mandioca e polvilho, que ficava nas terras onde moravam seus pais. Ainda jovem veio a trabalhar na construção da estrada de ferro, em Bento Gonçalves, onde conheceu aquela que seria sua futura esposa, Aurora Maria Fontana, natural de Veranópolis, cidade próxima, onde se casou e nasceu seu primogênito Sérgio Pacífico.

 

Em 1955 voltou para São Simão, trabalhando nas minas de carvão inicialmente na CBCA, e depois nas minas de seu primo Octávio Fontana, até 1969, quando seu aposentou. 

Alguns de seus colegas de trabalho foram seu tio Lino, irmão de sua mãe, seus primos Mário e Alberto Fontana, seus vizinhos e amigos Juvenil Zilli, Juventude Zilli e Luciano Kanareck, bem como seus cunhados Antonio Gobbo e José Maximiliano.

 

Em São Simão, nasceram mais seis filhos, sendo três homens e três mulheres: Ainda Rosina, Névio, Albertina Maria, Elédio José, Nívea Maria e Euzébio. Extremamente religioso, não deixava de frequentar a missa aos domingos na paróquia de São José em Criciúma, e também rezava o terço na capela em São Simão.

 

Seu prato predileto era a polenta com galinha ensopada, assim como os “crostoli”, bolo frito semelhante ao “croissant”, como  é conhecido pelos descendentes dos italianos, ou cavaquinho, como se chama em São Simão, ou ainda cueca virada, como é conhecido no Rio Grande do Sul, ou ainda orelha de gato pelo resto do Brasil. Seu passatempo predileto eram ouvir rádio, coisa que ensinou a todos os filhos, em especial quanto às faixas de ondas e como sintonizar as estações.

 

Residiu em São Simão até 1970, quando  resolveu  voltar ao Rio Grande do Sul, fixando residência em Canoas, atendendo a pedido de sua esposa, que queria ficar perto de seus irmãos e demais parentes.

Mesmo aposentado, nunca deixou de trabalhar. Trabalhou em construtora, em seguida em vários postos de gasolina, e finalmente como motorista em uma oficina mecânica de caminhões pesados, até que a doença o fez parar de trabalhar.

 

Faleceu em 15 de agosto de 1995, em Porto Alegre-RS, aos 64 anos. Sua esposa Aurora Maria Fontana, filha de Domenico Rampon, este nascido no navio que trazia imigrantes ao Brasil, segundo consta, e Catarina Carbonera, nasceu em  08 de outubro de 1924, em Veranópolis – RS, dedicou sua vida para cuidar da família, primando sempre pelos ensinamentos da educação cristã. Exímia cozinheira e doceira, era frequentemente convidada a fazer os bolos de casamento de parentes e pessoas conhecidas. Faleceu em 10 de dezembro de 2003, em Porto Alegre-RS, aos 79 anos.

Álbum de Família

Neca e Sérgio, filhos de Bepe e Aurora