André

 

Desbravador, fundou a comunidade de Vista Alegre

Atrás: Cecília, Letícia, Libera e Irma; na frente: José, Luiza e André

Filho de Fortunato Giusepe Fontana e Teresa Benedet, André nasceu dia 7 de outubro de 1894 e passou sua juventude no bairro São Simão, em Criciúma.

 

Casou-se com Luiza, filha de João Simon e Assunta Andreoli Simão. Após o casamento ficou morando e trabalhando com seu pai Fortunato Giuseppe, que viajava para a serra até Bom Jesus no Rio Grande do Sul, levando mercadorias da região.

 

Durante 2 anos fez as viagens e, em uma delas soube que haviam terras férteis com muita madeira a preço acessível que as Sesmarias estavam vendendo. Como já tinha boas informações de seus cunhados Fileno Acordi e Liberato Simon, que moravam em Turvo Baixo, foi conhecer as terras. Verificando que realmente eram boas e férteis, o pai deu dinheiro para que André pudesse seguir sua vida com a esposa e a família que estavam formando.

 

                                                                Com o dinheiro que o pai deu e com a ajuda do irmão mais velho                                                                             Fiorindo Fontana, mais dois amigos viajou para adquirir as suas                                                                               terras. No ano seguinte levou sua esposa Luisa e seus dois filhos José,                                                                   o mais velho com cinco anos e Cecília com quatro anos. Levaram a                                                                         mudança de carro de boi e a pequena Cecília viajou com a mãe                                                                                 montada na égua Picassa. Levaram oito dias até chegar a terra                                                                               prometida em Garapuvú, Vista Alegre, hoje município de Ermo. Depois                                                                   de terem se instalado em 1923, derrubou mato, plantou milho, feijão,                                                                     batata, cana e colocou engenho para produzir açúcar e cachaça.

 

                                                                Quando viajava com o pai, percebeu que havia muita procura pelos                                                                         produtos, então logo começou abrir melhores trilhas e seu irmão                                                                             Fiorindo abriu o comércio.

 

                                                                André convidou o irmão Afonso Fontana para ir morar na região e ele                                                                     acabou comprando as terras que faziam extrema. Como ali não havia                                                                     igreja, pensaram em construir. Reuniu os vizinhos que não paravam de                                                                 chegar da região de Criciúma e Urussanga e fundaram a comunidade     Vista Alegre. Por iniciativa de André, o Padre Antonio Luis Dias rezava a missa na casa de Pedro Bristott e pediu para escolher o local para construir a igreja onde já tinham derrubado o mato. Em 1926, foi inaugurada a Igreja. O casal André e Luisa por vários anos fez parte da diretoria da igreja e do Apostolado da Oração. Teve no total sete filhos. Com o tempo, descobriu um câncer que tratou no hospital de Porto Alegre, mas não conseguiu vencer. Faleceu no dia 7 setembro de 1948 e está sepultado no cemitério que ele ajudou a construir.

O casal Luiza e André Fontan